Câmaras para conservação de sangue: o que estabelecem as normas?

De acordo com dados do Ministério da Saúde, atualmente o Brasil conta com cerca de 137 hemocentros, além de mais de 15 mil laboratórios de análises clínicas, segundo o Conselho Regional de Farmácia (CRF). Desse modo, seguindo as normas sanitárias, esses locais são responsáveis pela coleta e armazenamento de sangue em refrigeradores científicos. Diante disso, as câmaras para conservação de sangue e plasma são equipamentos essenciais para a proteção das substâncias a serem analisadas e transportadas, tendo em vista que eles asseguram a temperatura ideal para a manutenção das propriedades sanguíneas.

Com fluxo diário de doações e coletas de amostras de sangue para exames, é possível considerar o quão importante esse líquido é para a vida humana. Os hemogramas, por exemplo, servem para promover diagnósticos ou monitorar os tratamentos feitos por um paciente, assim, detectam doenças importantes e auxiliam na cura de diversas patologias. Portanto, no Brasil, diversas regulamentações abordam as boas práticas em laboratórios, visando principalmente às geladeiras para banco de sangue, freezer para armazenamento de plasma, caixas para o transporte de sangue, entre outros equipamentos para a conservação.

 

RDC 34/2014, RDC 370/2014, portaria 158/2016: qualidade e segurança em refrigeradores para banco de sangue

Câmaras para conservação de sangue
Câmaras para conservação de sangue asseguram mais qualidade no armazenamento.

Determinada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a resolução RDC 34/2014, em seu Artigo 2°, trata de estabelecer regras para as boas práticas a serem cumpridas pelas atividades de hemoterapia, ou seja, aqueles serviços que envolvem o ciclo produtivo do sangue, bem como as transfusões. De modo geral, essa regulamentação trata de requisitos que garantam a qualidade do trabalho prestado, embasado em determinações sanitárias. Diante disso, fica instituído que os laboratórios devem garantir a qualidade no armazenamento em refrigeradores para banco de sangue e plasma.

Desse modo, as câmaras de estocagem de sangue devem ser especializadas na conservação de sangue e hemocomponentes, como determinado pela Portaria 158/2016, no qual obriga a adoção de câmaras de conservação de sangue com uso exclusivo para essa finalidade.

Além disso, a Portaria 158/2016 estabelece a utilização de refrigeradores para banco de sangue e plasma com sistema de ventilação para circulação de ar e temperatura uniformemente por todas as prateleiras, tecnologia disponível nas câmaras para conservação de sangue da Indrel Scientific, evitando as variações indesejadas na temperatura e, consequentemente, alterações nas substâncias. Com um monitoramento contínuo e preciso, como determinado pela portaria, os laboratórios podem atuar de forma mais segura e dentro de todas as regras estabelecidas.

Para finalizar, a RDC 370/2014 cuida das garantias de segurança nos diferentes processos de coleta e transporte de sangue, estabelecendo que todos os serviços realizados deverão ser autorizados pelos órgãos sanitários. Sendo assim, em um dos pontos determinados por essa resolução, a temperatura de armazenando dos refrigeradores de sangue e das caixas térmicas deverão ser acompanhadas constantemente, por meio de marcadores precisos. Vale ressaltar que tais recomendações visam garantir toda a segurança e confiabilidade que a sociedade deve ter diante desses procedimentos, portanto quando o assunto é refrigeração científica, refrigeradores para bancos de sangue, freezer para armazenamento de sangue ou então, como conhecido popularmente, geladeiras de conservação de sangue deve ser levado em consideração a mais alta tecnologia disponível no mercado, fortalecendo a garantia do serviço. Por isso a Indrel Scientific investe constantemente em inovação.

 

 

Alta tecnologia em freezer para bancos de sangue: inovação que acompanha a vida

Como vimos anteriormente nas resoluções que estabelecem as boas práticas na conservação de sangue e plasma, é possível cada vez mais aprimorar os cuidados na preservação de vidas. Com os avanços tecnológicos na área da saúde, usar a experiência alinhada com a inovação é a forma mais eficaz de atender a todos os requisitos sanitários e realizar os procedimentos de forma segura e correta. Por isso, câmara de conservação de sangue certificada pelos principais órgãos de saúde é com a Indrel Scientic. Nossas soluções são garantidas pela OMS e Anvisa, com qualidade ISO 9001, ISO13485, BPF, CE, FDA e norma AABB.

Desde a coleta até a análise ou transfusão, qualquer falha no armazenamento ou transporte pode ser arriscada para os procedimentos finais, com comprometimentos a vida de muitos indivíduos.

Por isso há uma variação nas modalidades de conservação de acordo com o serviço prestado. Em alguns casos, o refrigerador para a conservação de sangue deve ser regulado de acordo com a finalidade proposta, sendo necessário, em alguns casos, a utilização de ultrafreezer para banco de sangue e plasma.

 

Variação nas modalidades de armazenamento em câmaras para conservação de sangue

Segurança em freezer para bancos de sangue
Inovação em refrigeradores para banco de sangue garantem mais segurança na conservação.

Materiais biológicos são extremamente sensíveis e necessitam de todo o cuidado no armazenamento. Em alguns casos, de acordo com determinados procedimentos, as condições de conservação podem se diferenciar, por isso, os ajustes de local e temperatura devem ser específicos, a fim de não comprometer as propriedades a serem analisadas. A seguir, dois casos para exemplificar essas condições.

  • Sangue e Glóbulos Vermelhos: devem ser armazenados em um refrigerador para banco de sangue a uma temperatura entre 2°C e 6°C. É recomendado o uso de câmara de conservação de sangue com alarme e monitoramento de temperatura, sistema de segurança presente nos equipamentos da Indrel Scientifc. O acompanhamento em tempo real da temperatura é fundamental na redução de riscos, tanto para queda ou aumento de temperatura, já que a instabilidade pode prejudicar todo o material dentro dos refrigeradores.
  • Plasma congelado: nesse caso é necessário o armazenamento em temperatura a -40°C ou até abaixo disso. Ou seja, quando envolve o congelamento de plasma é necessário o uso de ultrafreezer para banco de sangue e plasma sendo indispensável o monitoramento constante para que a substância não sofra nenhum tipo de dano envolvendo a temperatura.

 

Como podemos observar, esses serviços de coleta e armazenamento de sangue exigem um controle inteligente da temperatura dos refrigeradores científicos. Por isso, em casos delicados assim, não é nada interessante colocar a vida de pessoas em riscos ou até mesmo a credibilidade do laboratório em xeque.

Por isso, excelência, segurança e inovação em câmaras para banco de sangue e plasma é com quem é referência no mercado. A Indrel Scientific está há mais de meio século desenvolvendo soluções em refrigeração científica, proporcionando alta tecnologia em saúde e, principalmente, preservando vidas. Fale conosco!

Adicionar comentário